Êxodo urbano: o campo como opção de moradia

Cidades ao redor do mundo enfrentam um novo êxodo urbano, ocasionado pela pandemia de coronavírus. Estudos recentes apontam que reflexos da pandemia podem continuar por pelo menos dois a três anos. 

À vista disso, 40%  dos habitantes das grandes cidades estão pensando em migrar para o campo, de acordo com um artigo da Fast Company. Essa tendência começou na Europa e se espalhou para outras regiões do planeta, inclusive no Brasil.  

Entenda o que é o êxodo urbano 

O início do século XXI foi marcado pelo intenso êxodo rural, onde mais de dois milhões de pessoas migraram para os centros urbanos entre 2000 e 2010, segundo os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O motivos: a busca por melhores condições de vida e trabalho. 

Em 2020, ocorre um movimento oposto àquela época: o êxodo urbano. A pandemia  da COVID-19 ressaltou as crises habitacionais nas grandes metrópoles e intensificou o êxodo urbano. Em busca de qualidade de vida e com a possibilidade do trabalho remoto, as pessoas buscam, hoje, refúgio no campo. 

Antes, as capitais eram vistas como sinônimo de progresso, entretanto, essa é uma visão obsoleta nos dias de hoje. O alto índice de violência, poluição, tráfego intenso e alto custo de vida das grandes metrópoles são as principais causas que levam as pessoas a migrarem para o campo.

Benefícios de morar no campo

A busca por qualidade de vida é um dos quesitos que está levando as pessoas de volta ao campo. A tendência é que o fenômeno se intensifique ainda mais nos próximos anos, principalmente após a popularização do trabalho remoto. 

O home office é um fator que ajuda a impulsionar todo esse fenômeno, dando mais liberdade e oportunidade para as pessoas viverem com mais qualidade de vida longe das metrópoles. Os benefícios da vida no campo são:

  • Mais qualidade de vida;
  • Custo de vida mais baixo;
  • Busca pelo contato com a natureza;
  • Oportunidade de uma vida mais sustentável;
  • Busca por uma vida mais tranquila e sem estresse; 
  • Busca por relações mais próximas com as pessoas.

Cortes na Selic e o impacto na procura por loteamentos  

As recentes quedas na taxa Selic trouxeram impactos positivos para quem desejar migrar para o campo. O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central cortou a taxa Selic para 2,00% ao ano, pela nona vez seguida em agosto deste ano. 

A taxa básica de juros atingiu a mínima histórica e a expectativa é que permaneça nesse patamar até pelo menos o final de 2020. Com isso, para investidores mais conservadores, a aquisição de imóveis aparece como uma boa alternativa de investimento. 

Neste momento, o investimento em imóveis oferece maior segurança em comparação aos ativos de renda váriavel. Visando o futuro, os loteamentos aparecem como uma nova aposta no mercado – principalmente para investidores que buscam maior rentabilidade.

Conheça os loteamentos da MIP Edificações: Reserva de Piedade, Eco Casa Branca e Gran Royalle. Para mais informações sobre o fenômeno do êxodo urbano, baixe aqui nosso e-book.   

Compartilhe:

Outras publicações

Fazendas Terras de Minas: convenção de vendas e oportunidades
Veja mais
5 dicas infalíveis para receber bem os convidados em casa
Veja mais
Tudo sobre o projeto social da MIP: solidariedade, engajamento voluntário e impacto social
Veja mais
Tendências de Decoração para 2024: Elegância com Peach Fuzz
Veja mais
Ligamos para você
Fale conosco
Whatsapp